SEM PROMESSA

Se você anda atento por São Paulo (SP) nos finais de semana, a chance de já ter encontrado com a Future Skateboards manobrando e filmando é bem grande. Um hábito natural pra esse grupo de skatistas, que tem na busca de picos, acerto de manobras e registros em vídeo seu mais divertido passatempo. Natural que tal atividade ganhe, a cada ano, cada vez mais profissionalismo, melhores equipamentos, objetivos mais definidos, mas sem que nada disso interfira na essência divertida da atividade.

A Future está tornando público, hoje, em 13 de outubro, o “Sem Promessa”, mais um capítulo de sua videografia. Essa produção enriquece uma já histórica lista dos vídeos de skate produzidos pela marca, ao lado de clássicos como o “Metrópole”, de 1996, o “Hora Extra” (2005) e “Interferência”, lançado em 2014.

O título do filme é uma alusão aos momentos difíceis pelos quais a humanidade atravessa. Pouco se pode prometer diante de tanta incerteza e adversidade. Mas o resultado final é algo inspirador, a prova de que tempos difíceis abrem novas portas, oportunidades. Prometer pouco (ou nada) e entregar tudo (ou mais que tudo) é o caminho pra pouca expectativa e muita realização.

Assista “Sem Promessa”:

O vídeo de 2020 traz partes de JN Charles, Guilherme Silva e Alexandre Calado, além da presença dos demais nomes que integram o time. Ouvimos alguns deles sobre “Sem Promessa”.

JN Charles, 180 fakie nosegrind (foto João Eduardo Pat)

Entrevista JN Charles

Como foi lidar com o fim do Vale, durante as gravações para o vídeo?

A fim do Vale impactou o vídeo e o skate como um todo. Estávamos até correndo contra o tempo pra tentar filmar sempre algo mais por lá, pra ficar registrado. Agora só são memoráveis as manobras que não foram acertadas.

Você é de Aracaju (SE). Quantas viagens até SP estão em “Sem Promessa”?

Acredito que fui pra São Paulo (SP) umas seis vezes. Tínhamos a vontade de fazer o vídeo mas não sabíamos quando. Fomos filmando nossas missões, marcando e colando nos picos. Quando Fabinho disse que já tínhamos imagem suficiente pra um vídeo, aí veio a pandemia. Só ficaram faltando as últimas imagens, pra embelezar o vídeo mesmo.

JN Charles, frontside rockslide no Parque Dom Pedro (foto João Eduardo Pat)

Alexandre Calado, crooked (foto João Eduardo Pat)

Entrevista: Alexandre Calado

Como foi a procura de picos pro “Sem Promessa”?

Não ter mais o Vale, por exemplo, nos influenciou a ir em outros lugares, até sair um pouco mais da região central. Eu, pessoalmente, andava bastante no Vale mas pras sessões de dia a dia, não pra filmar. Era mais um lugar para andar livre.

E nessa busca,o que encontraram de mais legal?

Na verdade, não consigo lembrar, ou definir, algum pico específico. Mas a paredinha do SENAI, ali no bairro do Cambuci, tem algo de especial.

Como é a expectativa pra uma premiere exclusiva de YouTube?

É uma expectativa meio cega. Você não sabe exatamente quantas pessoas estão vendo no YouTube, já que uma visualização contada ali pode ter mais de uma pessoa assistindo. Tem amigos meus que vão estar reunidos na casa de um para ver o vídeo, até me chamaram pra ir ver junto. A premiere no cinema é sempre muito gratificante, olhar no rosto das pessoas, ver as reações.

Alexandre Calado, crooked na Av. Luiz Carlos Berrini, Brooklyn (São Pauo-SP) (foto João Eduardo Pat)

Entrevista Gui Silva

A programação do vídeo (e da vida, na verdade) foi toda alterada por causa da pandemia. Isso trouxe algo de positivo? Ou foi totalmente negativo?

Para ser simples e objetivo, a pandemia trouxe momentos de reflexão importantes para alguns, o caos para outros, e a instabilidade para todos. Falando do vídeo, tínhamos o plano de viajar e captar mais material ao longo desse ano, infelizmente deixamos esse objetivo de lado e topamos trabalhar com o que já estava em mãos. Somos skatistas, sempre fica aquela impressão de que poderíamos ter feito mais. Mas dessa vez fomos realmente impedidos.

Dos picos em que manobrou pro vídeo, qual mais curtiu?

Um dos que mais me diverti foi a borda extensa do switch frontside rock slide. Andaria ali o dia todo. Aliás, andamos lá o dia todo!

Gui Silva e o longo switch frontside rockslide (foto João Eduardo Pat)

Como é o relacionamento com os companheiros de time? Alguns deles já eram nomes consagrados no skate quando você estava nascendo.

Sempre admirei eles, até já cheguei a pegar autógrafo com alguns quando eu era criança. E depois que comecei a fazer as primeiras sessões, ainda fora do time, já viramos amigos e vi que eles eram mais fodas do que pareciam. Creio que toda equipe funciona muito melhor quando tem uma conexão de ideias fora do skate, e isso nunca faltou na Future. Só tenho a agradecer o quanto essa família me fez evoluir como skatista e mais ainda como pessoa.

Gui Silva, bank to bar (foto João Eduardo Pat)

Entrevista: Thiago Garcia

“Sem Promessa” marca um tempo muito louco pra vida de todo mundo. Como foi fazer um vídeo no meio de tanta mudança?

Na parte mais “pega” de sair pra filmar, ainda não se falava de pandemia. Até então, tudo normal para se filmar. Quando começamos a chegar nos finalmentes das últimas missões, foi quando começou a estourar a pandemia, mas até então ninguém sabia exatamente o que iria ser. Durante o período mais crítico não fiz nenhuma missão específica pro vídeo, talvez o Testa e o Gui tenham feito. Com certeza esta fase de tantas mudanças tornou mais difícil qualquer tipo de missão, seja pra um vídeo ou não.

Thiago Garcia, crooked (foto João Eduardo Pat)

O vídeo aconteceu no período que marcou o “fim” do Vale, que era uma “subsede” da Future. Como esse acontecimento influenciou?

Pra gente que tem muito amor pelo skate, qualquer destruição de um pico clássico sempre dá uma impactada de alguma forma. Acredito que deixou uma cicatriz no peito de cada da gente, principalmente em mim que andava lá quase que diariamente desde 1996.

_

“Andar com os meninos é antes de tudo uma grande satisfação. Somos amigos, somos família. Sou fã dos meus amigos e não canso de dizer isso. Andamos de skate juntos faz muito tempo e sempre vejo todo o processo de desenvolvimento da marca. Quando saímos pra andar é me dada a oportunidade também de poder estar fotografando as sessões, seja as mais descompromissadas, seja naquelas que tem uma missão envolvida, como no caso a produção do novo vídeo Sem Promessa. A produção do vídeo e das fotos passa por muitas etapas, dos erros, kick outs aos acertos e comemorações. É muito louco isso, pois por trás de todo o material produzido tem uma história a ser contada. (João Eduardo Pat)

_

“Em quase todas as marcas que eu andei ou ando de skate tento criar uma raiz, uma história de vida mesmo. Passou rápido bem rápido esse tempo todo de Future, lembro do dia em que o Fabinho e o Thiago me chamaram para conversar . E a sintonia continua a mesma. Estou ansioso para acabar essa pandemia e poder voltar a andar com o time todo livremente. Ver o Gui e o Calado na pegada me motiva mais e mais a andar de skate. Os moleques estão sempre manobrando em alto nível e com uma energia boa que contagia.”(Cezar Gordo)

_

Marcus Vinicius, o Kamau, fala sobre a trilha sonora de “Sem Promessa”:

“A pesquisa pra esse, assim como pra outros vídeos anteriores, foi feita de acordo com o clima que o Fabio Brandão imagina como diretor. Eu pesquiso algumas coisas e vejo alternativas pra música das quais não temos como conseguir autorização pra utilização, assim como consigo contato com artistas de algumas músicas escolhidas. E esse vídeo acabou sendo batizado com o nome de um som que fiz durante esse período doido em que vivemos. Sempre vejo a identidade de cada skatista e sugiro músicas que me parecem ter a ver com o contexto. Importante ter esse equilíbrio entre a identidade da marca (que sempre prezou por usar músicas brasileiras nos vídeos), o gosto e estilo do skatista e a viabilidade do uso da canção.”

_

Fabio Brandão, switch bluntslide (foto João Eduardo Pat)

“Desde o começo deste vídeo, queria fugir da fórmula do “vídeo perfeito” onde todos ficam na busca eterna da última manobra e nos esforçamos ao máximo para ter o vídeo dos sonhos. Queria algo mais espontâneo e natural, que representasse de forma verdadeira o que é o nosso dia a dia. Na metade do projeto apareceu o Covid-19 e quase toda a equipe não podia se arriscar em sair para filmar, pois realmente estaríamos colocando em risco a saúde de pessoas próximas. O jeito foi reunir o que já havíamos filmado e fazer uma primeira edição. O resultado acabou surpreendendo a todos e fomos unânimes em querer lançar da forma como estava. Para mim foi um exercício de desapego de ideias e fórmulas engessadas que já foram usadas. Espero que seja mais um passo para deixar a marca sempre próxima do que realmente importa. E que venha o próximo vídeo, o quanto antes, mas sem promessa. (Fabio Brandão)

Fabio Brandão, switch crooked (foto João Eduardo Pat)

_

Sem Promessa

Com Gui Silva, J.N. Charles, Alexandre Calado, Cezar Gordo, Fabio Brandão e Thiago Garcia. Participação especial de Marcelo Formiga, Pedro Iti e Giancarlo Naccarato. Filmado em 2019 e 2020.

Direção e Edição: Fabio Brandão

Imagens: Fabio Brandão, Rodrigo Bocão, Luiz Felipe Ferreira, Thiago Garcia, Diogo Gema. J.N. Charles, Julian Eduardo e Pedro Friedheim.

 

Visite o site da Future Skateboards